Opiniões sobre Paulo Odone e Grêmio Empreendimentos

Escrito por Bruno Coelho em Fevereiro 16, 2009

A saída de Paulo Odone na Grêmio Empreendimentos foi um claro sinal de que o mesmo não digeriu muito bem a nomeação de Adalberto Preis para a presidência da empresa.

Após a confirmação de sua saída, Paulo Odone deu entrevistas polêmicas para Final Sports e Zero Hora. Em contra-partida, a Grêmio Empreendimentos respondeu com uma nota de esclarecimento em resposta às declarações de ex-presidente.

De certa forma, achei lamentável a saída de Paulo Odone. As razões políticas superaram os interesses do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense e da Maior Torcida do Sul do Brasil.

Em busca de esclarecimentos sobre o assunto, o blog Grêmio 1903 solicitou que dois ilustres gremistas, que são conhecedores do que ocorre na política interna do Grêmio, expressassem suas opiniões. Um deles é Eduardo Bernardon, membro do Movimento Grêmio Acima de Tudo e integra o seu conselho fiscal. O outro é Giuliano Vieceli, moderador do blog Grêmio Arena e membro do Movimento Grêmio Novo. Os dois, atendendo ao pedido do blog, escreveram os artigos reproduzidos na íntegra a seguir.

Naturalmente, são artigos que expressam diferentes visões sobre a saída de Paulo Odone da Grêmio Empreendimentos. Entretanto, afirmando a tradição democrática do blog, as duas opiniões encontram abrigo nesse espaço para que os torcedores do Grêmio possam ter um ponto de partida para suas reflexões sobre o caso. Boa leitura!

Análise de Eduardo Bernardon

Alguns menos votados, na ânsia de defender o seu padrinho, aquele que renunciou à sua vaga na Grêmio Empreendimentos, falam em “fogueira das vaidades e busca incessante pelo poder“. Para aquele gremista que não tem acompanhado com muita atenção todo o processo político tricolor, a justificativa até pode encontrar guarida.

Entretanto, para todos que buscam conhecer melhor e de forma mais próxima os bastidores da administração tricolor, as expressões “fogueira das vaidades e busca incessante pelo poder” se aplica única e exclusivamente para as atitudes do ex-presidente e do ex-integrante do Conselho de Administração responsável pelo projeto do estádio da OAS (o estádio somente será do nosso tricolor após 20 anos de uso).

Qual a justificativa que se pode apresentar para as crises e “chiliques” demonstrados em público e na imprensa frente à ausência de seus nomes como “condutores perpétuos” do projeto Arena? Sinceramente, isso só pode partir de pessoas desacostumadas com o processo democrático. Para algumas pessoas, o processo eleitoral ainda não foi perfeitamente digerido, parece que ainda não se conformaram com o resultado da eleição que apresentou Duda Kroeff como Presidente do Clube.

Para essas pessoas, se eles não estiverem no poder capitaneando todas as ações, tudo perde o sentido e, independente das qualificações das pessoas que hoje integram de forma DEMOCRÁTICA a Grêmio Empreendimentos, nenhuma pessoa tem valor. Imaginemos o contrário. Fossem eles os ganhadores da eleição, teríamos algum nome do G6 indicado para a Grêmio Empreendimentos? E chamar de golpe a eleição de Adalberto Preiss para a presidência da GE é piada. Golpe foi, ou melhor, tentativa de golpe foi à indicação de Antônio Britto para suceder o ex-presidente que, com interesse apenas na Grêmio Empreendimentos queria ser o seu presidente.

Sempre é bom lembrarmos o torcedor gremista dessa tentativa fracassada de golpe: ODONE QUERIA ANTÔNIO BRITTO COMO PRESIDENTE DO CLUBE, em uma “eleição sem a participação do associado”. Sinceramente, o Grêmio teve bons momentos na gestão anterior, chegamos ao vice-campeonato da América e em duas boas colocações no Campeonato Brasileiro. Mas isso foi mais mérito da gestão do futebol do que das pessoas que só tinham o projeto do estádio da OAS (o estádio somente será do nosso tricolor após 20 anos de uso) na mente.

È triste ver que algumas pessoas têm como único interesse a sua promoção pessoal, aparecer em fotos ao lado da Governadora (será que alguém se promove posando ao lado dela?) e dar constantes entrevistas onde o rancor e a desqualificação de adversários de processos eleitorais são recorrentes. Isso é a “fogueira das vaidades“.

Pessoalmente, sempre me posicionei contrário ao projeto arena da forma como ele foi concebido. Sempre entendi que estádio não ganha títulos e se ganhasse, o nosso Olímpico Monumental apresenta plenas condições de uso e até mesmo de uma reforma (o Movimento GRÊMIO ACIMA DE TUDO finalizou o projeto de remodelação do estádio Olímpico e irá apresentá-lo em breve), mas não posso deixar de efetuar esses comentários sobre essas reações desmedidas e destemperadas que diariamente são divulgadas.

Finalizo aqui sempre lembrando:

– TENTATIVA DE GOLPE FOI A INDICAÇÂO DO NOME DE ANTÔNIO BRITTO COMO SUCESSOR DE ODONE.

– ADALBERTO PREISS FOI ELEITO DEMOCRATICAMENTE PRESIDENTE DA GRÊMIO EMPREENDIMENTOS.

Saudações tricolores,

Eduardo Bernardon.

Sócio Patrimonial – Um dos milhares de DONOS do Grêmio.

Análise de Giuliano Vieceli

Poucas vezes as vaidades políticas ficaram tão expostas como agora. O racha é tão notório que qualquer torcedor sabe que a situação atual do Conselho Deliberativo do clube é uma só: G-6 de um lado, demais movimentos do outro. Infelizmente isso ocorre no exato momento em que está em curso a execução daquele que, para mim, é o maior projeto da história do clube: o Projeto Arena.

A primeira e lamentável conseqüência da imaturidade política que hoje prevalece (chamo de imaturidade pois os interesses de alguns movimentos são colocados acima dos interesses do clube) foi o afastamento de Eduardo Antonini da nominata da Grêmio Empreendimentos, pelo fato deste ser “chato”, de acordo com alguns gênios que hoje comandam o clube (ou apenas servem de fachada para outros comandarem).

A segunda conseqüência consolidou-se nesta semana: a eleição de Adalberto Preis para a presidência da Grêmio Empreendimentos e o pedido de afastamento do ex-presidente Paulo Odone, que se sentiu traído por não ser ele o escolhido. Gostaria de deixar bem claro aqui que o presidente Odone deveria ter se recusado a fazer parte da nominata no dia em que o nome de Eduardo Antonini foi excluído da mesma, mas não o fez pois deve ter tido a garantia (ou o sentimento) de que seria o comandante de todo o processo.

Acontece que o nosso ex-presidente (e apenas ele) não percebeu o circo que estava sendo montado, onde ele seria a atração principal: o palhaço. Os nomes escolhidos para fazerem parte da GE já demonstravam que os fatores competência e entendimento do negócio não eram importantes. O importante era colocar um membro de cada movimento e, só para não pegar mal, o nobre conselheiro Paulo Odone.

O resultado já era esperado: em uma escolha “democrática”, pela maioria dos votos o conselheiro Adalberto Preis foi eleito presidente da GE. Nada contra o Dr. Preis, que já prestou diversos serviços ao clube, mas todos sabem que o cargo de presidente é eminentemente político, e não existe no clube alguém com maior força política que o ex-presidente Odone, ou existe?

Mas para os atuais comandantes do clube isso não importa. O importante é mostrar quem “manda”. Porém, tais atitudes estão parecendo mais um grande e doloroso tiro no pé.

Giuliano Vieceli

Post-Scriptum: As análises apresentadas por Eduardo Bernardon e Giuliano Vieceli são opiniões pessoais e não necessariamente posicionamentos oficiais dos dois movimentos políticos em questão.

Uma resposta para “Opiniões sobre Paulo Odone e Grêmio Empreendimentos”

1.       Eduardo Bernardon disse

Fevereiro 16, 2009 às 8:26 pm

Giuliano, mais uma vez sou obrigado a discordar das tuas opiniões.

Considerar o ex-presidente como sendo a maior força política do Grêmio é desconhecer a política do Clube. Vejamos:
– Uma pessoa que tenta indicar Antonio Britto como seu sucessor e teve que desistir disso em razão da total falta de apoio POLÍTICO é um fato.

– Uma pessoa que tentou fazer presidente do Conselho Deliberativo uma pessoa que, por maiores qualidades que possa ter, reside há mais de uma década em Brasília e não comparece no Grêmio – Dr. Madeira, e fez dessa eleição mais uma derrota POLÍTICA é outro fato.

– Uma pessoa que tentou eleger o seu sucessor e foi derrotado, tanto na votação do Conselho como na do associado, sofreu outra derrota POLÍTICA. Isso é fato.

– Uma pessoa que apoiou uma candidata a prefeita e que nem foi pro segundo turno, no meu ponto de vista sofreu outra derrota POLÍTICA.

Realmente, ele é a pessoa que mais entende de política no Grêmio. Mas de DERROTAS POLÍTICAS, é claro!!!

Uma resposta para Opiniões sobre Paulo Odone e Grêmio Empreendimentos

  1. Fabio Moreira disse:

    Amigão, tens o e-mail do Paulo Odone?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: