Quero ser convencido!!!

Amigo Gremista: 

Quem me conhece, sabe o que eu penso a cerca da tão falada arena. 

E o que eu penso não é fruto da minha intolerância ou de preconceito em relação à pessoa A ou B, ou Movimento X ou Y. Todo o meu sentimento em relação a todo o processo envolvendo essa tal arena é fruto, tão somente, da total falta de informação e de esclarecimento a todas as dúvidas que vem surgindo a cada dia que passa.

 

Não foram poucas às vezes em que foram apresentadas questões que estão diretamente relacionadas aos aspectos dos direitos dos sócios patrimoniais e remidos, proprietários e locatários de cadeiras, questões sobre valores e formas de ingresso ao novo estádio, dúvidas sobre as avaliações da área do complexo Olímpico Monumental frente ao atual Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano de Porto Alegre e com a mudança que tramita junto a Câmara Municipal. Igualmente me questiono, juntamente com centenas de outros gremistas, qual o custo que esta tal arena representará ao nosso Grêmio??? Qual o motivo de passarmos a titularidade do nosso patrimônio maior, o nosso Estádio Olímpico Monumental, para uma empresa a ser criada??? E se a aventura chamada arena der errada, a propriedade do Olímpico voltará ao Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense???

 

Em vários site e blogs que tratam exclusivamente de questões envolvendo o nosso Grêmio, os questionamentos existentes por todos são acompanhados de um sentimento de indignação e perplexidade, frente ao descaso que se está tratando os maiores interessados nesse projeto: o associado gremista. Simplesmente nenhum esclarecimento foi prestado por aqueles que se autodenominaram como sendo “homem arena”, “o especialista”, o “engenheiro que tudo-sabe”, etc. e etc. E pergunto: qual o motivo desse assunto ser mantido sob o manto da desinformação? Quem ganha com isso?

 

Nos últimos dias, um fato novo surgiu nesse horizonte nebuloso. Trata-se da questão do Direito de Superfície. Afinal, quem será o proprietário da tal arena? O nosso Grêmio ou a OAS? Quem será o proprietário do terreno da tal arena? O nosso Grêmio ou a OAS? Quem será o proprietário do dito entorno da tal arena (shoppings, prédios residenciais e comerciais)? O nosso Grêmio ou a OAS?

 

Fosse à situação tão tranqüila como é apregoada por alguns, não teria sido criada a Associação dos Gremistas Patrimoniais, que tem por objetivo defender os interesses dos associados frente a essa aventura que querem fazer com o nosso Grêmio. É só olhar quem são os integrantes da associação para entender que os nossos interesses realmente estão em jogo. Pessoas sérias, de conduta ilibada, de amplo conhecimento jurídico estão preocupadas com o futuro do nosso patrimônio.

 

Eu poderia passar horas apresentando dúvidas e mais dúvidas sobre o tema. Mas de que me adiantaria??? Afinal, as pessoas que conduzem o projeto não têm interesse nenhum em fazer com que o associado gremista, o VERDADEIRO DONO DO CLUBE, seja esclarecido e que, de posse de todas as informações VERDADEIRAS e CONCRETAS, possa tomar uma posição.

 

 Em meados do mês passado, foi postado no Blog Grêmio Acima de Tudohttp://gremioacimadetudo.blogspot.com – e reproduzido em outros espaços virtuais, um documento assinado pelo associado Fábio Mundstock, onde o mesmo apresentava uma série de dúvidas sobre o projeto da tal arena, sendo que o documento foi protocolado junto a secretaria do Conselho Deliberativo. Mais uma vez a soberba e a desconsideração com o associado falou mais forte. NENHUMA RESPOSTA FOI DADA. Eu mesmo encaminhei, por email, algumas considerações sobre o material do sócio Fábio Mundstock. Resposta??? IGUALMENTE NENHUMA. Esse é o tratamento que é dado ao associado que ousa não estar convencido dos benefícios que tal aventura chamada projeto arena. SILÊNCIO…

 

Mas quando resta marcada data de reunião extraordinária do Conselho Deliberativo para tomar ciência do relatório do Conselho de Administração sobre “as mudanças no projeto”, tomar ciência de um escritório de advocacia contratado para assessorar o clube (esse escritório aprovou a TBZ no projeto???) e decidir sobre a assinatura do contrato e referendar os nomes para a Grêmio Empreendimentos, só posso lamentar. Os que não querem que o associado gremista tenha o direito de conhecer os dados reais dessa aventura, os que não querem que as dúvidas dos associados sejam dirimidas, os que querem empurrar a assinatura do contrato sem que todos tenham certeza do que realmente estamos comprometendo de patrimônio do nosso Grêmio estão ganhando essa batalha.

  

EU QUERO SER CONVENCIDO. E não adianta alguém falar – e como falam isso!!! – que já leu em algum lugar que uma pessoa ouviu o “homem-arena” explicar isso ou aquilo. Isso não em serve. Tal argumento não me convence de nada.

 

Termino dizendo que não fui convencido dos benefícios que o nosso Grêmio terá com essa aventura chamada arena. Mas pior do que não estar convencido é não querer que o associado gremista tenha condições de ser convencido.

 

Saudações tricolores. 

Eduardo Bernardon,

Sócio Patrimonial – Um dos milhares de DONOS DO GRÊMIO.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: